quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Magistério Indígena- Altamira


No dia 2 de julho de 2012, estive em Altamira pelo segundo ano participando da qualificação profissional dos povos indígenas: Arara, Assurini, Arawetê, Xikrin, Kaiapó, Xipaya, Parakanã e Juruna. Ministrei a disciplina Língua Portuguesa nesta etapa presencial do curso normal em nível médio de Formação de Professores Indígenas do Pará. O desenvolvimento deste trabalho, em quatorze dias, é muito gratificante. 

Com um planejamento organizado foi possível trabalhar seis classes gramaticais neste módulo, utilizando vídeos, gêneros textuais de apoio, além de exercícios de fixação, seminários e provas. A sequência do conteúdo acontecerá na próxima etapa. A dedicação, responsabilidade e compromisso com os povos indígenas promove um retorno muito bom ao professor que se envolve com a formação. 
A afetividade é fundamental para perceber que é preciso sempre revisar os conteúdos e ultrapassar os obstáculos que a língua dificulta, no entanto, o esforço dos povos indígenas é surpreendente. Eles comprometem-se com os estudos durante 1 mês, deixam parte da família para trás, quando não, levam os filhos para os alojamentos. Tudo, é uma forma de não se desligar do objetivo principal que é SER PROFESSOR NA ALDEIA INDÍGENA.
 Isso mesmo, eles buscam, com muito estudo, dedicar-se futuramente a educação infantil de 1ª a 4ª série, além de ter a oportunidade de avançar seus estudos e garantir uma educação de qualidade para as crianças das aldeias abrangidas pelo projeto. 
A coordenação de Educação escolar Indígena (Ceind), na qual trabalho espera que os povos indígenas possam ter uma qualidade de vida melhor e uma relação mais próxima e igual com o resto da sociedade, visto que terão uma base e em uma formação intercultural e bilíngue. 
Realizo esse trabalho com muito carinho e compromisso. Trabalhar na formação indígena é um prazer e uma troca intensa de cultura, aprendizados variados. Àqueles professores que não viveram ainda essa experiência, fica a dica. O processo, posso dizer, é muito enriquecedor e prazeroso.




terça-feira, 21 de setembro de 2010

Dia da Árvore

Vamos marcar um dia para plantar esta ideia?
Dia 21 de Setembro comemoramos o Dia da Árvore. Valorizar e proteger o ser vivo é um ato de respeito. Sejamos conscientes do significado desse ser que dá sombra, alimento e faz sua grande parte no ciclo da vida. Fica minha lembrança sobre o dia de hoje. Especial na data do meu aniversário. ;)

domingo, 19 de setembro de 2010

Trabalho Semana do Folclore Brasileiro



Na programação da Semana do Folclore Brasileiro e Cultura Polular promovi no pátio principal do Colégio São Paulo, a exibição de cartazes com o tema "Lendas Amazônicas". Os Alunos de 5ª série apresentaram pesquisa sobre o assunto e ainda participaram da palestra "Contos amazônicos", do amigo e Diretor de Criação da Chaves mais , Sérgio Bastos. Os vídeos expostos na ocasião tinham duração máxima de 1 minuto cada um, e possuíam ilustrações animadas das lendas da região e das séries Belém tem disso e Contos da Amazônia. O trabalho, ligado a disciplina de Redação, tem o objetivo de incentivar e valorizar a identidade local, a partir das narrativas contadas oralmente de geração a geração. Além da pesquisa, a base para motivação dos alunos foi a visita ao Sítio Acapú (Espaço Ecológico e Cultural do Grupo Ipiranga) organizada pela direção do colégio, no dia 18 de agosto. Os alunos participaram do passeio fazendo anotações e registrando momentos com os mitos encontrados nas trilhas do sítio. Um momento enriquecedor e de interação total com o tema. Nas fotos acima, a palestra do amigo, eu, e respectivamente meu aluno Jean Pamplona, entregando um livro de presente ao Sérgio, como forma de agradecimento pela visita.